Uma pesquisa realizada pela agência de transformação digital Today revelou dados sobre a cultura de uso dos smartphones pelos brasileiros. O objetivo do estudo foi analisar o fenômeno e sua complexidade, profundidade a abrangência demandada pelo dispositivo.

O resultado da análise revela que 50% dos jovens entrevistados consideram o smartphone seu melhor amigo, enquanto três em cada cinco estão conscientes de que precisam reduzir ou limitar o uso dos aparelhos, mesmo que seja preciso desabilitar algumas funções.

“Neste exato momento, pelo menos três quartos da população estão com um smartphone em mão e não é apenas para fazer uma ligação. Eles podem estar lendo e-mails, acessando a Internet, fazendo uso do GPS, trocando uma mensagem por aplicativos de conversa ou SMS. A população tem acesso ao mundo através de um toque”, conta Adilson Batista, sócio-fundador e diretor de estratégia da Today.

Hábitos

A dependência de celulares ganhou um nome: nomofobia. Essa condição é responsável por causar sintomas silimares aos que aparecem em dependentes de drogas, como fissura, abstinência e perda de controle. A nomofobia vem atingindo não só os jovens, mas como qualquer usuário que use smartphones constantemente, incluindo pessoas com mais de 60 anos.

O estudo mostra ainda que há um grande crescimento do percentual de usuários que fazem uso de seus smartphones como suporte para o consumo, mostrando uma revolução na relação entra os consumidores, marcas e produtos.

“Hoje, 41% dos usuários já realizaram compras por dispositivos móveis. Há 5 anos este percentual era de 15%. Mais do que somente comprar, os smartphones deram origem a um novo tipo de consumo. 96% pesquisam online antes mesmo que façam a compra em uma loja física. Isso é muito representativo”, explica Batista.

Segundo dados de outra pesquisa, desta vez realizada pela consultoria Provokers, 93% dos consumidores preferem comprar online para não precisar ir até uma loja física e 72% afirmam já terem comprado online em uma loja na qual nunca foram pessoalmente. 66% dos entrevistados disseram que já fizeram compras pela internet para retirar na loja física.

Revolução

A pesquisa da Today também mostra que as empresas estão desenvolvendo melhorias em hardwares, como o aumento de memória e capacidade de processamento, baterias mais eficientes e materiais inquebráveis, e que em breve essa evolução será a prioridade.

Hoje, essas preocupações são secundárias e a tendência de consumo está atenta para o que há de mais moderno para agilizar e aprimorar o cotidiano das pessoas e suas formas de comunicação. “A tecnologia trouxe a incrível pulverização dos canais de comunicação e as marcas mais atentas e menos resistentes às mudanças escreverão novos ‘pulos do gato'”, conta Batista.

A Today ainda encontrou quais são as cinco categorias mais usadas de aplicativos nos smartphones de brasileiros: mensagens, bancos, comando de voz, streaming de vídeo e música, marketplace e utilitários. Além disso, 25% dos usuários dizem que o que mais fazem em seus aparelhos é acessar mapas e tráfego, 25% notícias, 60% aplicativos de música, 79% jogos e 64% fazem a postagem de fotos ou vídeos.

Na questão da comunicação, o aplicativo mais utilizado é o WhatsApp, com 97% das respostas, e-mails com 82%, chamadas de voz com 80% e chamadas de vídeo com 38%.

Facilidade de comunicação

A pesquisa da Today também buscou dados da pesquisa Global Mobile Consumor Survey de 2017, mostrando que mais de dois terços da população assistem a vídeos em aplicativos de mensagem instantânea ou no YouTube ao menos uma vez ao dia, enquanto mais da metade acompanham vídeos ao vivo pela plataforma e por meio de redes sociais diariamente. Em 2020, segundo o estudo da Today, os vídeos representarão 82% de todo o tráfego realizado pelos consumidores.

Financeiro

A agência descobriu ainda que as pessoas fazem pesquisas de produtos e serviços em seus dispositivos móveis, mas que nem sempre adquirem. O estudo mostrou outros dados sobre o comportamento do consumidor em relação à movimentação de seu dinheiro, revelando que cerca de 46% dos usuários dizem utilizar o smartphone para conferir o saldo bancário e 31% realizam outras transações.

Aproximadamente 56% dos consumidores fazem pesquisas sobre produtos e serviços navegando por lojas e aplicativos, enquanto 41% afirmam já terem feito algum tipo de compra pelo smartphone, 74% esse total sendo itens físicos. Cerca de 18% fazem uso de apps para pegar caronas e 3% pagam por produtos e serviços em espaço físico.