Palmeiras superou o Vitória. Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras
Palmeiras superou o Vitória. Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

Após vencer o Vasco da Gama, em São Januário, no Rio de Janeiro, e conquistar seu 10º título do Campeonato Brasileiro com um jogo de antecedência, o Palmeiras reencontrou sua torcida neste domingo (2), no Allianz Parque. Em partida válida pela 38ª e última rodada do Brasileirão, o Verdão superou o já rebaixado Vitória por 3 a 2. Edu Dracena, Gustavo Scarpa e Bruno Henrique marcaram para os alviverdes, enquanto Yago e Luan descontaram para os rubro-negros. O foi jogo marcado por muita festa, pela entrega da taça de campeão, levantada pelo capitão Bruno Henrique, e pela volta olímpica do elenco em seu estádio.

Primeiro do confronto, o gol de Edu Dracena foi especial: o zagueiro marcou o tento de número dois mil do Palmeiras na história da competição nacional (desde 1959) – no total, são 2002 gols anotados. Neste ano, o time de Luiz Felipe Scolari balançou as redes adversárias 64 vezes e terminou o torneio com o melhor ataque.

Além do melhor ataque, o Maior Campeão do Brasil também é dono da melhor defesa do Brasileiro de 2018, com apenas 26 gols sofridos. Consequentemente, o saldo de gols também é o mais positivo: a diferença é de 38 tentos. Com uma campanha incontestável, clube também é líder em número de vitórias (23) e tem menos derrotas (4) do que os outros times da Série A. No geral, são 80 pontos conquistados (oito a mais do que o vice-campeão Flamengo) e 70,2 % de aproveitamento.

Fator mais impressionante da campanha, o segundo turno feito pelo elenco alviverde é o melhor da história do torneio de pontos corridos. São 47 pontos em 19 jogos, 14 vitórias, 5 empates e nenhuma derrota, superando os números do próprio Palmeiras em 2016 (44 pontos), ano em que também se sagrou campeão nacional. A segunda metade do campeonato feita pelo Verdão também credencia o time ao posto de melhor turno na história do Brasileiro, posição que divide com o Corinthians, que teve retrospecto idêntico ao palestrino nas primeiras 19 partidas de 2017.

Após estabelecer o novo recorde de invencibilidade na história do Brasileiro de pontos corridos contra o Paraná, na 35ª rodada, o Palmeiras ampliou ainda mais a marca neste domingo. São 23 jogos sem saber o que é perder na competição nacional, igualando sequência estabelecida pelo Verdão nas temporadas 1993/1994.

O jogo

Com a taça garantida e jogando contra uma equipe já rebaixada, o Palmeiras entrou em campo com o objetivo de enfeitar a festa do título com gols. A equipe de Luiz Felipe Scolari tinha mais posse de bola do que o Vitória e rondava a área do goleiro João Gabriel incansavelmente. As jogadas de ataque eram construídas principalmente pela direita, com as participações de Mayke, Lucas Lima e Gustavo Scarpa. Os rubro-negros só conseguiam responder com chutes de longe, como o de Yago, aos 14 minutos da primeira etapa, que passou perto da trave esquerda de Weverton.

Aos 21, foi a vez do Verdão quase anotar um golaço. Após lançamento de Felipe Melo, Mayke driblou a marcação com habilidade e tocou para Borja, dentro da área. O atacante finalizou de primeira, mas mandou por cima do gol. Os decacampeões continuaram pressionando e buscando abrir o placar ainda na primeira etapa. Faltava, no entanto, ajustar a pontaria.

Até que, aos 42 minutos, depois de boa jogada de Lucas Lima pela direita, Bruno Henrique arrematou de fora da área. A bola desviou na zaga rubro-negra e sobrou para Dudu. O atacante gingou na entrada da área e cruzou para Edu Dracena, de cabeça, completar para o fundo das redes. Foi o gol de número dois mil do Palmeiras na história do Campeonato Brasileiro (desde 1959) e o segundo do zagueiro com a camisa alviverde. (Palmeiras 1 x 0 Vitória)

O primeiro tempo terminou sem maiores acontecimentos. Felipão voltou para a etapa complementar com Deyverson, de cabelos pintados de verde, no lugar de Borja no comando do ataque.

O cenário no segundo tempo continuava a ser de total domínio palestrino, enquanto o torcedor celebrava com músicas e mosaicos na arquibancada. Aos quatro minutos, Dudu tentou chute colocado e quase ampliou. Mas o segundo gol não demorou muito a sair: aos 11, após cobrança de falta ensaiada, Scarpa recebeu de Dudu e chutou de pé esquerdo. A bola desviou no meio do caminho e passou pelo goleiro João Gabriel. (Palmeiras 2 x 0 Vitória)

O Palmeiras ainda teve chances de marcar o terceiro, mas não acertou o alvo e diminuiu o ritmo após os 20 minutos da etapa final, dando espaço para o Vitória crescer na partida. Aos 23, Antonio Carlos fez falta em Yago perto da linha e o juiz Heber Roberto Lopes assinalou pênalti. O próprio Yago cobrou bem e diminuiu. (Palmeiras 2 x 1 Vitória)

O técnico palestrino fez sua segunda alteração logo após o pênalti, colocando Moisés na vaga de Gustavo Scarpa. Com o Verdão menos intenso do que no começo da partida, os visitantes se jogaram ao ataque. Aos 27, Luan recebeu na entrada da área, fez boa jogada individual e chutou forte, sem chances para Weverton, para fazer o gol de empate. (Palmeiras 2 x 2 Vitória)

O resultado parcial não diminuiu a comemoração alviverde no Allianz Parque e o torcedor, sem se abalar, seguia celebrando o título do Brasileirão. Aos 42, Alejandro Guerra entrou no lugar de Lucas Lima no meio de campo.

Aos 44, o volante-artilheiro Bruno Henrique completou a festa do Maior Campeão do Brasil. Em um lance de contra-ataque, o capitão recebeu de Guerra e mandou uma bomba de primeira, marcando um golaço para fechar a memorável campanha alviverde no Campeonato Brasileiro de 2018. (Palmeiras 3 x 2 Vitória)

Escalação: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luis; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima (Alejandro Guerra); Gustavo Scarpa (Moisés), Borja (Deyverson) e Dudu.

Cartões amarelos: Felipe Melo e Deyverson.

Gols

Palmeiras: Edu Dracena (42′ – 1º Tempo), Gustavo Scarpa (11′ – 2º Tempo) e Bruno Henrique (44′ – 2º Tempo).

Vitória: Yago (25′ – 2º Tempo) e Luan (27′ – 1º Tempo).