O Corinthians contou com um gol de Boselli, o primeiro com a camisa alvinegra, para conseguir pela primeira vez uma sequência de vitórias no Paulistão. Após o triunfo no clássico contra o São Paulo, o time do técnico Fábio Carille foi a campo neste domingo (24), no Santa Cruz, em Ribeirão Preto, e venceu o anfitrião Botafogo por 1 a 0, em jogo válido pela oitava rodada.

Com o resultado, a equipe corintiana chega aos 13 pontos e mantém a liderança do Grupo C, agora um pouco mais tranquilo. O Botafogo, por sua vez, segue na luta contra o rebaixamento, com quatro pontos, em último lugar do Grupo D e na 14ª colocação na classificação geral.

Com um time alternativo em campo, o Corinthians não fez um bom primeiro tempo. A principal dificuldade no meio de campo, que criou muito pouco. Responsável pela criação, Mateus Vital apareceu muito poço, assim como Ramiro, que teve mais liberdade e pouco fez para contribuir no apoio.

Do outro lado, o Botafogo foi mais incisivo e conseguiu finalizar mais do que os visitantes. A melhor chance foi aos 32 minutos, quando o goleiro Cássio precisou fazer uma linda defesa após uma bomba de Marlon Freitas. Aos 40 minutos, o cenário complicou para os botafoguenses com a expulsão do zagueiro Plínio.

Em busca de mudar a dinâmica do time, o técnico Fábio Carille tirou Ramiro e colocou Clayson. O jogo corintiano melhorou um pouco, com mais chegdadas ao ataque e até finalizações, mas o time não manteve o ritmo, mesmo com um a menos.

Ainda assim, sem grande desempenho, o Corinthians soube achar o caminho do gol por meio da bola aérea. Aos 37 minutos, Pedrinho levantou a bola na área e Gustavo ajeitou de cabeça para Boselli marcar o seu primeiro gol com a camisa corintiana.

O Corinthians volta às atenções para a Copa Sul-Americana, torneio pelo qual enfrenta o Racing, às 21h30 desta quarta-feira, na Argentina, em jogo decisivo pela classificação à segunda fase. Pelo Paulistão, o próximo compromisso será no sábado de Carnaval, contra o São Bento. O Botafogojoga dois dias depois, na segunda, contra a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli.