Na continuidade da 11ª rodada do Paulistão, o sábado (16) é marcado por dois clássicos. São Paulo e Palmeiras se encontram no estádio do Pacaembu, às 16h30, enquanto Ponte Preta e Guarani fazem o Dérbi de Campinas, às 19h, com mando alvinegro. Ambos os confrontos têm caráter decisivo, já que podem definir o futuro das equipes na competição.

São Paulo x Palmeiras;
Horário: 16h30;
Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo;

São Paulo: Tiago Volpi; Igor Vinicius, Arboleda, Anderson Martins e Reinaldo; Luan, Hudson e Hernanes; Antony, Gonzalo Carneiro e Pablo. Técnico: Vagner Mancini.

Palmeiras: Weverton (Jailson); Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Moisés (Bruno Henrique) e Ricardo Goulart; Dudu, Felipe Pires (Gustavo Scarpa) e Borja. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Cercado de ingredientes, São Paulo e Palmeiras se enfrentam, às 16h30, no estádio do Pacaembu. O time do Morumbi ocupa a segunda colocação do Grupo D, com 14 pontos, três atrás do Ituano. Além disso, os são-paulinos querem acabar com jejum de 10 anos sem vencer o rival em Estaduais.

Comandante do ataque são-paulino, o atacante Pablo apontou o caminho para buscar conseguir superar o rival. “A gente tem de estar muito concentrado para mudar essa chavinha. Sabemos que a equipe do Palmeiras tem uma qualidade incrível, a nossa também tem, e vamos fazer de tudo para vencer a partida”, disse o camisa 12.

Do outro lado, o Palmeiras quer confirmar a classificação às quartas de final com uma rodada de antecedência. “A gente está vivendo um bom momento. O São Paulo tem uns 15 ou 20 dias que trocou de treinador, está tentando mudar o elenco novamente. Temos de aproveitar essa instabilidade do adversário, mas respeitando pela grandeza da equipe, por ter a torcida a favor e por estar buscando a classificação. Vai ser um grande jogo”, afirmou o lateral direito Marcos Rocha.

Ponte Preta x Guarani;
Horário: 19h;
Local: estádio Moisés Lucarelli, em Campinas;

Ponte Preta: Ivan; Luis Ricardo (Arnaldo), Renan Fonseca, Reginaldo e Diego Renan; Edson (Nathan) e Gerson Magrão; Matheus Oliveira, Matheus Vargas e Júlio César (Hugo Cabral); Thalles. Técnico: Jorginho.

Guarani: Giovanni; Léo Príncipe, Ferreira, Diego Giaretta e William Matheus; Deivid e Ricardinho; Felipe Amorim, Thiago Ribeiro e Diego Cardoso; Anselmo Ramon. Técnico: Osmar Loss.

Ponte Preta e Guarani jogam às 19h, no estádio Moisés Lucarelli. Apesar de já matematicamente não ter chances de classificação, os alvinegros querem complicar a vida do rival.

“Pilhar é foco no trabalho, raça, entrega, vontade. É faca nos dentes, ir como se fosse para uma guerra. Não é uma guerra, porque é um adversário profissional e que merece ser respeitado. Dentro da entrega, da vontade, tem que ter equilíbrio para estar bem organizado taticamente, o equilíbrio emocional é fundamental. E tem a vantagem de estarmos em casa. Temos que tirar proveito disso”, disse o técnico Jorginho.

Já os bugrinos precisam da vitória para ter chances de avançar às quartas de final, já que estão a cinco pontos de distância de Palmeiras e Novorizontino, primeiro e segundo colocados, respectivamente.

“A gente procurou, dentro do nosso vestiário, entender a importância que isso tem dentro do campeonato para o Guarani, dentro da cidade para a torcida bugrina. Mas tentamos trabalhar com a consciência maior do que a emoção. Temos que tentar controlar um pouco mais, sabendo de tudo isso que eu falei, mas com muita consciência. É um jogo para se ter consciência e jogar com inteligência”, enfatizou o técnico Osmar Loss.