Ministro Gilmar Mendes. Foto: Nelson Jr./SCO/STF
Ministro Gilmar Mendes. Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu nesta terça-feira (25), que o ex-presidente Lula seja solto até que o Supremo conclua o julgamento do habeas corpus que questiona a imparcialidade do ex-juiz Sérgio Moro.

Na avaliação de Gilmar Mendes, as mensagens atribuídas a Moro e ao procurador Deltan Dallagnol e divulgadas pelo site The Intercept Brasil colocam em dúvida a atuação do atual ministro da Justiça enquanto juiz. Para ele, é melhor aguardar e analisar melhor o caso antes de uma decisão definitiva.

Esse pedido de liberdade de Lula foi apresentado pela defesa no ano passado, depois que Sérgio Moro aceitou o convite do presidente Jair Bolsonaro para comandar o Ministério da Justiça. No habeas corpus, a defesa do ex-presidente questiona a atuação e a imparcialidade do atual ministro da Justiça no julgamento do petista na primeira instância da Justiça Federal pelo caso do triplex do Guarujá (SP).

*Com informações do G1