Ministro Ricardo Lewandowski. Foto: Nelson Jr./SCO/STF
Ministro Ricardo Lewandowski. Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O ministro Ricardo Lewandowski afirmou nesta terça-feira (25) que, independentemente do vazamento de conversas do ex-juiz Sérgio Moro, a análise do habeas corpus não deve ser adiada. Caso o julgamento não ocorra, porém, ele votou para que seja concedida a liberdade a Lula, como propôs Gilmar Mendes.

“Os autos trazem elementos suficientes, da plausibilidade, eis que o paciente já se encontra preso há mais de 400 dias, da concessão da liminar”, afirmou Lewandowski.

Esse pedido de liberdade de Lula foi apresentado pela defesa no ano passado, depois que Sérgio Moro aceitou o convite do presidente Jair Bolsonaro para comandar o Ministério da Justiça. No habeas corpus, a defesa do ex-presidente questiona a atuação e a imparcialidade do atual ministro da Justiça no julgamento do petista na primeira instância da Justiça Federal pelo caso do triplex do Guarujá (SP).

*Com informações do G1