A tarifa de energia deve ficar mais barata no mês de dezembro, mas os consumidores ainda precisam tomar cuidado para não levar um susto com a conta. A bandeira tarifária fica amarela e terá custo de R$ 1,34 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. A mudança foi anunciada pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Apesar da notícia boa, não é hora de ‘relaxar’ com os aparelhos em casa. A presidente do Concen (Conselho dos Consumidores da Área de Concessão da Energisa MS), Rosimeire Costa, alerta que é preciso adotar hábitos racionais.

“Embora a bandeira esteja amarela, um custo inferior à da vermelha, dezembro é um mês de calor intenso, estamos em pleno verão, é preciso ficar atento especialmente aos encargos que estão relacionados ao consumo de cada unidade, são escalonados por faixa de consumo”, diz.

A Aneel justificou a mudança da bandeira vermelha para amarela dizendo que as previsões meteorológicas mostram que haverá melhora nas condições de chuva nas principais bacias hidrográficas do SIN (Sistema Interligado Nacional).

“A previsão hidrológica para o mês é a de que as vazões afluentes aos principais reservatórios se elevem gradativamente, mas ainda atingindo patamares abaixo da média quando comparadas às referências históricas. Essa condição intermediária repercutirá na capacidade de produção das hidrelétricas, ainda demandando acionamento de parte do parque termelétrico, com impactos diretos na formação do preço da energia (PLD) e nos custos relacionados ao risco hidrológico (GSF). O PLD e o GSF são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada”, informou a Aneel.