Brasil se prepara para ‘tempestade’ de covid-19, dengue, gripe e sarampo

O Brasil se encaminha para uma 'tempestade' de coronavírus, início da temporada do vírus influenza (causador da gripe), final da temporada de dengue.

Expansão do coronavírus ocorre em meio a outros surtos infecciosos. Foto: Pixabay
Expansão do coronavírus ocorre em meio a outros surtos infecciosos. Foto: Pixabay

O Brasil se encaminha para uma ‘tempestade’ com a aproximação do inverno no hemisfério sul, longe do pico do coronavírus, início da temporada do vírus influenza (causador da gripe), final da temporada de dengue e surtos ativos de outros vírus que pareciam superados, como o do sarampo. A informação é do R7.

Siga o Gazeta do Dia no Google News

Até este sábado (16), o Brasil registrou 233.142 casos confirmados de covid-19 – já supera a Itália e a Espanha – e 15.633 mortes, o que faz do país um dos epicentros globais da pandemia.

A expansão do coronavírus, que chegou ao Brasil em fevereiro, ocorre em meio a outros surtos infecciosos que preocupam as autoridades de saúde.

O país está superando o pico da dengue – geralmente em abril e maio – transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, que também é portador do vírus Zika, febre amarela e chikungunya.

De acordo com o último boletim do Ministério da Saúde, até o momento foram relatados 676.928 casos suspeitos ​​de dengue, com uma taxa de incidência de 322 casos por 100.000 habitantes e 265 mortes.

Em junho, com a chegada do inverno no sul, os casos de dengue diminuem, mas os de gripe comum e outras doenças respiratórias aumentam.

Em 2019, o Brasil, com uma população de 210 milhões de habitantes, registrou 1.122 mortes pelos três tipos de influenza, segundo dados oficiais.

Este ano, a gripe e a dengue se somam à covid-19 e, com isso, vem a dificuldade de diferenciar cada caso, uma vez que os três vírus causam sintomas semelhantes nos primeiros dias da doença.

Além disso, ainda existem surtos de sarampo em todas as regiões do país. Até o momento, neste ano, foram relatados 2.910 casos da doença, quase metade deles no estado do Pará, também um dos mais afetados pelo coronavírus, e três mortes.

Em 2019, houve 18.200 casos de sarampo e 15 mortes em todo o país, 14 delas em São Paulo, hoje o epicentro brasileiro da covid-19.