Negligência ao distanciamento social favorece aumento de casos de covid-19 em MS

Embora a afirmação pareça repetida, os mais de 2,3 mil infectados e 22 vidas perdidas, são retrato da negligencia ao distanciamento social.

Apesar do conjunto de esforços adotados pelo Governo do Estado no enfrentamento ao novo coronavírus, Mato Grosso do Sul segue numa curva ascendente de novos casos da covid-19. Embora a afirmação pareça repetida, os mais de 2,3 mil infectados e 22 vidas perdidas, são retrato da negligencia ao distanciamento social.

Siga o Gazeta do Dia no Google News

Os medidores que mapeiam diariamente o isolamento social no Brasil, mostram que Mato Grosso do Sul teve uma segunda-feira (8) movimentada com apenas 35,1% da população seguindo as orientações de recolhimento. O agravante é que esse índice entre 25% e 35%, se iguala ao da população que já permanecia em casa antes da pandemia estourar.

Não muito diferente do índice estadual, Campo Grande fechou a segunda-feira com taxa de isolamento em 34,35% e ocupando o penúltimo lugar no ranking das capitais brasileiras. Entre as regiões mais movimentadas da cidade figuram: Jardim Noroeste (22,1%), Tiradentes (22,2%), Chácara do Lageado (22,2%), São Francisco (23,9%) e Portal da Lagoa (24,1%).

Nas últimas semanas, Dourados se tornou o epicentro da doença no MS com mais de 600 positivos em poucos dias. Nos últimos dois meses as taxas de isolamento social mapeadas na cidade, não tem atingido índices acima dos 50% em dias da semana. Nos quatro últimos domingos, os indicadores mostram recolhimento entre 51,1% e 53,2%.

Nos demais municípios sul-mato-grossenses a adesão do distanciamento social tem variado entre 19,6% e 58,7%.