Augusto Aras troca secretário que disse que Deus teria colocado Bolsonaro no poder

O procurador-geral da República Augusto Aras oficializou a saída de Eitel Santiago de Brito Pereira do cargo de secretário-geral da PGR.

Augusto Aras. Foto: Lula Marques/Fotos Públicas
Augusto Aras. Foto: Lula Marques/Fotos Públicas

O procurador-geral da República Augusto Aras oficializou nesta quarta-feira (5) a saída de Eitel Santiago de Brito Pereira do cargo de secretário-geral da PGR. No mês passado, em entrevista à CNN, ele afirmou que a Lava Jato no Paraná cometeu ilegalidades e “foi Deus o responsável pela presença de Bolsonaro no poder”.

Em um comunicado interno, Aras comunicou que Eitel pediu demissão e informou a substituição dele pela subprocuradora-geral da República Eliana Torelly, que já vinha exercendo a função interinamente. A secretaria-geral da PGR é o órgão responsável pela gestão administrativa do órgão, cuidando da execução de despesas, concessão de diárias de viagens e assuntos do tipo.

No comunicado, Aras agradeceu ao trabalho dele durante sua gestão. “O colega Eitel Santiago foi incansável na defesa do Ministério Público da União, não medindo esforços para que, em pouco tempo, essa pauta gerasse resultados significativos para nossa instituição, inclusive, no tocante à recuperação das perdas orçamentárias e financeiras no montante de R$ 1,02 bilhão”, declarou Aras no comunicado interno.