Início BRASIL “Gosta de dar, assuma as consequências”, diz padre sobre menina estuprada

“Gosta de dar, assuma as consequências”, diz padre sobre menina estuprada

Pelo Facebook, Ramiro Perotto escreveu que a criança “gosta de dar” e não é “inocente”, por ter aturado os abusos durante quatro anos.

Padre gerou polêmica após comentários sobre aborto de menina de 10 anos. Foto: Facebook/Reprodução
Padre gerou polêmica após comentários sobre aborto de menina de 10 anos. Foto: Facebook/Reprodução

O padre Ramiro José Perotto, da cidade de Carlinda, no Mato Grosso, comentou numa rede social que a menina capixaba de 10 anos que ficou grávida após ter sido estuprada pelo tio teria “compactuado com o estupro”. Ela teve a gravidez interrompida nesta segunda-feira (17), em Pernambuco, após autorização judicial.

Segundo o G1, o padre havia compartilhado uma mensagem do presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Walmor Oliveira de Azevedo, lamentou a interrupção da gravidez da menina.

Diversas pessoas comentaram o post de Perotto, algumas criticando. Uma delas disse que “obrigar uma criança vítima de estupro a seguir com a gravidez era repugnante” e falou em hipocrisia.

Em resposta ao comentário, o padre disse que duvidava que uma criança abusada por vários anos deixaria de comentar o caso. “Aposto, minha cara. Ela compactuou com tudo e agora é menina inocente. Gosta de dar então assuma as consequências”, escreveu.

Mais tarde, ele postou uma mensagem dizendo que iria sair do Facebook. “Você acredita que a menina é inocente? Acredita em Papai Noel também. Seis anos, por quatro anos, e não disse nada. Claro que estava gostando”, afirmou no post antes de excluir a conta da rede social.

Nesta quinta-feira (20), o religioso divulgou nota onde assumiu a responsabilidade pelas postagens e que não quer condenar e nem julgar ninguém.

“Assumo a responsabilidade de ter proferido palavras desagradáveis, e justifico que compartilho da defesa da vida, nunca condenar e tirar julgamentos. Não foi minha intenção proferir palavras de baixo calão, as quais não comungam com minha fé e minha crença na pessoa humana. Àqueles que se sentiram ofendidos, só resta meu pedido de perdão”, escreveu no comunicado.

No trecho seguinte, ele justificou a exclusão da conta na rede social: “Excluí meu Facebook por não querer mais ofender e ser ofendido. Precisamos ser fraterno. Sempre preguei isso. As vezes que não fui, que Deus me perdoe. Lutemos pela vida, ela é dom de Deus”.