Tio que participou de estupro coletivo de menina indígena se enforca na cadeia em Dourados

Elinho Arévalo, 34 anos, morreu enforcado na cela da PED, em Dourados. A suspeita é de suicídio, mas a polícia vai investigar o caso.

Criança foi jogada de altura de 20 metros em pedreira desativada. Foto: Dourados News/Reprodução
Criança foi jogada de altura de 20 metros em pedreira desativada. Foto: Dourados News/Reprodução

Foi encontrado morto na tarde desta quinta-feira (12), o homem que ajudou a estuprar e a matar a própria sobrinha em Dourados, no Mato Grosso do Sul.

Elinho Arévalo, 34 anos, morreu enforcado na cela onde estava preso na PED (Penitenciária Estadual de Dourados). A suspeita é de suicídio, mas a polícia vai investigar o caso.

O caso

No domingo à tarde, a menina de 11 anos foi atraída até a antiga pedreira na Reserva Indígena de Dourados. No local, foi obrigada a consumir pinga e estuprada pelo tio e por outros quatro homens.

Depois, para não denunciar os estupradores, foi jogada do topo de paredão de pedra com 22 metros de altura. Nua, ela caiu sobre as pedras e morreu. O corpo foi encontrado pelos familiares na manhã de segunda-feira (9).

Quatro envolvidos, entre eles três adolescentes – dois de 14 e um de 17 anos – foram presos no mesmo dia em que o corpo foi encontrado.

Arévalo confessou o crime e disse que estuprava a sobrinha desde que ela tinha seis anos de idade.

Três adolescentes foram levados para a Unei (Unidade Educacional de Internação). Ontem, Elinho e o outro adulto envolvido no crime, Leandro Pinosa, 20, foram levados para a PED.

Segundo informações policiais, o homem fez uma corda com pedaços de pano e se enforcou.

Enfim, o que achou da notícia?

Então, nos siga no Facebook, Twitter e Google News. Assim você vai acompanhar as principais notícias do Brasil e do mundo no Gazeta do Dia!