Audiência na Câmara vai analisar pedidos de retorno do horário de verão

A prática de adiantar os relógios uma hora durante os meses da primavera e do verão foi extinta em abril de 2019 pelo presidente Bolsonaro.

A Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados realizará na quarta-feira (22), uma audiência pública para debater pedidos de retorno do horário de verão. A prática de adiantar os relógios uma hora durante os meses da primavera e do verão foi extinta em abril de 2019 pelo presidente Jair Bolsonaro, sob alegação de que não havia benefício econômico.

O debate foi solicitado pelo presidente da comissão, deputado Bacelar (Pode-BA). Ele informa que, no fim de junho, empresários de setores como turismo e bares e restaurantes encaminharam uma carta para Bolsonaro pedindo a volta do horário de verão ainda em 2021.

“No texto, eles afirmam que a presença de uma hora a mais de claridade no fim da tarde impactava positivamente os negócios, o que seria bem-vindo durante a pandemia de covid-19, que afetou drasticamente o faturamento das empresas do setor”, diz Bacelar.

O deputado ressalta também que, para diversos economistas, a volta do horário de verão é imprescindível por conta da crise energética no País. Bacelar cita avaliação do economista Claudio Frischtak, que foi convidado para a audiência, de que o horário de verão pode reduzir em até 4,5% o consumo de energia no fim de tarde.

Pedidos de retorno do horário de verão serão analisados por audiência

A Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados realizará na quarta-feira (22), uma audiência pública para debater pedidos de retorno do horário de verão. A prática de adiantar os relógios uma hora durante os meses da primavera e do verão foi extinta em abril de 2019 pelo presidente Jair Bolsonaro, sob alegação de que não havia benefício econômico.

O debate foi solicitado pelo presidente da comissão, deputado Bacelar (Pode-BA). Ele informa que, no fim de junho, empresários de setores como turismo e bares e restaurantes encaminharam uma carta para Bolsonaro pedindo a volta do horário de verão ainda em 2021.

“No texto, eles afirmam que a presença de uma hora a mais de claridade no fim da tarde impactava positivamente os negócios, o que seria bem-vindo durante a pandemia de covid-19, que afetou drasticamente o faturamento das empresas do setor”, diz Bacelar.

O deputado ressalta também que, para diversos economistas, a volta do horário de verão é imprescindível por conta da crise energética no País. Bacelar cita avaliação do economista Claudio Frischtak, que foi convidado para a audiência, de que o horário de verão pode reduzir em até 4,5% o consumo de energia no fim de tarde.

Também foram convidados para a audiência o professor do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e coordenador-geral do Grupo de Estudos do Setor Elétrico (Gesel), Nivalde de Castro, e um representante do Ministério de Minas e Energia.

A audiência está marcada para as 14h30, no plenário 9.

Enfim, o que achou da notícia?

Então, nos siga no Facebook, Twitter e Google News. Assim você vai acompanhar as principais notícias do Brasil e do mundo no Gazeta do Dia!