Primeiros passos para quem deseja começar sua carreira musical como MC

O mercado do Funk vem crescendo cada vez mais. Para aqueles que são apaixonados por funk, se tornar MC é um ótimo caminho.

Primeiros passos para quem deseja começar sua carreira musical como MC. Foto: Freepik
Primeiros passos para quem deseja começar sua carreira musical como MC. Foto: Freepik

O mercado do Funk vem crescendo cada vez mais. As pessoas têm buscado uma nova forma de trabalho, realização profissional e um novo estilo de vida, para aqueles que são apaixonados por funk, se tornar MC é um ótimo caminho já que o Funk mudou a vida de muitos.

De acordo com Jonathas Groscove, empresário e CEO da agência Groscove, é preciso seguir alguns passos para que você consiga se inserir no mercado musical e monetize a carreira, ganhando dinheiro fazendo shows, lançando músicas e se posicionando como artista.

“A primeira coisa é você estudar o mercado, entender o que o pessoal está ofertando. Pegar os grandes MCs do mercado como o MC Livinho, MC Lan, pessoas que começaram neste mercado como Anitta e Ludmilla e estudar como começaram e como desenvolveram sua carreira, para se inspirar: Pegar a trajetória e entender o que eles estão fazendo, por que estão fazendo músicas mais dançantes e com menos letras, por exemplo. Isso ajuda a saber como você vai se posicionar.”, expõe Jonathas.

“Entender como você quer seguir a sua carreira vai fazer com que você entenda qual estudo de mercado precisa fazer, se é um estudo para poder fazer igual ou melhor, ou para fazer diferente e sustentar.”, explica Alexia Simensato, Drop Servicer operacional e CMO da empresa.

O segundo passo, segundo Groscove, é buscar posicionamento artístico. É necessário saber que tipo de carreira artística você vai seguir. Existem 2 mais comuns: artista comercial e artista inovação. O artista comercial vai produzir músicas que estão vendendo no momento, mesmo que não seja do seu segmento, seu estilo musical ou forma de composição. “Ou seja, se o que está bombando é o trap, o cantor de funk pode fazer uma música mais voltada ao trap, por exemplo, para que a música dele venda.”, ilustra Simensato.

Já a carreira inovadora traz uma verdade para o artista, onde ele lança músicas sem rótulos de qual segmento é e, até mesmo, sem certeza de vendas. Ele só quer expressar seus sentimentos e verdades, dentro do ritmo que o agrada, para pessoas que, assim como ele, ouçam a música porque ela faz sentido e não porque todos estão ouvindo.

O peso dessa inovação, segundo Alexia, é extremo: frustração de não encontrar público que se identifique com a sua arte ou a viralização de um novo conceito de música para o mercado artístico.

“Em ambos os casos, será necessário se desenvolver artisticamente para estar mais perto de atingir o resultado desejado. As técnicas de desenvolvimento artístico podem englobar aulas de dança, canto, presença de palco, teatro, dança e aulas de composição. Há inúmeras formas de se desenvolver corporalmente e também envolver o público, como buscar aulas de atualização sobre o que está acontecendo no mundo – para que não seja um artista perdido, já que ele também é um formador de opinião. É importante se desenvolver em todas as áreas para se tornar um artista completo e com mais possibilidades dentro do mercado.”, declarou o CEO da Groscove.

Em terceiro lugar está o aumento do networking. O publicitário explica que é extremamente necessário que o artista tenha suas redes sociais abertas nos canais certos, onde o público dele está e os potenciais concorrentes também. “É se conectar estrategicamente com pessoas que já estão tendo algum tipo de sucesso e já estão colhendo algo que aquele artista também quer para sua carreira. Ele precisa fazer collabs, seja lives, conteúdos ou até composições para que tenha algumas associações de marca com pessoas que já construíram uma marca.”, afirma Jonathas.

Ainda, de acordo com o empresário, o último passo seria construir uma lista de parceiros ou fornecedores. Assim, o MC saberá exatamente como que irá monetizar com sua carreira, “Se ele sabe que sempre vai precisar produzir música, então ter os contatos e orçamentos com gravadoras, produtores, compositores, todo mundo que faz parte da produção para que você tenha músicas recorrentes e quem sabe até conseguir uma parceria ou desconto para a produção dessas músicas sempre.”, explica ele.

“O MC também pode buscar casas de shows, donos de casas de show, eventos, lugares e pessoas especificamente que vão te pagar para você colocar sua música ali. É um networking, mas de fornecedores, pessoas que tem o dinheiro para comprar – o que é essencial para que você cresça e deslanche sua carreira!”, esclarece Alexia.

É um longo caminho para se tornar um MC, são necessários muitos passos e, no começo, muitas dúvidas podem surgir. A assessoria artística, um produto de empresas especializadas em publicidade e desenvolvimento artístico, pode ser uma ótima alternativa para dar esse suporte que o artista precisa. “São várias pessoas dentro de uma equipe que vão ajudar desde a parte de estudo de mercado até dinâmicas para atingir o objetivo musical que o artista precisa!”, comenta a CMO.

“A agência Groscove tem esse serviço, assessoramos desde artistas de grande renome, como o falecido MC Kevin, MC Lan, MC Livinho, até artistas iniciantes como Guilherme Gan, Milena Iorio, MC Bruninho da sul,  entre outros. Então conseguimos fazer collabs estratégicas, porque já temos relacionamento com pessoas do segmento, temos contatos com pessoas que compram essa arte, é muito mais fácil dar o suporte que o artista vai precisar e ele pode focar na produção de suas músicas, em se desenvolver e não precisa se preocupar com a parte mais burocrática.”, finaliza Jonathas.

Enfim, o que achou da notícia?

Então, nos siga no Facebook, Twitter e Google News. Assim você vai acompanhar as principais notícias do Brasil e do mundo no Gazeta do Dia!