Eleições se encerram com a vitória da democracia, afirma Alexandre de Moraes

Alexandre de Moraes informou que foi registrado o maior número de votos em candidatos da história brasileira: "a vitória da democracia".

Ministro Alexandre de Moraes. Foto: Antonio Augusto/Secom/TSE
Ministro Alexandre de Moraes. Foto: Antonio Augusto/Secom/TSE

“Nós conseguimos concluir uma eleição extremamente polarizada, que demonstrou essa polarização no aumento do número de votos em candidatos e numa diferença de aproximadamente 2 milhões e 100 mil votos”, avaliou o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, durante a entrevista coletiva de encerramento do segundo turno do pleito geral deste ano, na noite deste domingo (30). “Esta etapa importantíssima das Eleições de 2022 se encerra com a vitória da democracia, da sociedade, dos eleitores que compareceram”, comemorou.

Alexandre de Moraes informou que, na votação deste domingo, foi registrado o maior número de votos em candidatos da história brasileira, tanto percentualmente quanto em termos absolutos. Ele destacou também uma diminuição sensível nos índices de abstenção no segundo turno de votação em relação ao primeiro. Os percentuais deste ano foram, respectivamente, 20,95% e 20,56%.

“Mais do que isso: além da menor abstenção, houve uma diminuição dos votos brancos e nulos. Isso significa dizer que tivemos 75,86% do eleitorado efetivamente escolhendo um dos dois candidatos a presidente da República”, apontou. Ele também informou que não foram registradas grandes filas nas seções eleitorais como aconteceu na primeira etapa do pleito.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

◊ Lula derrota Bolsonaro e é eleito presidente do Brasil

Um aumento nos níveis de abstenção, o que era esperado nos estados do Nordeste onde se verificaram operações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), não se confirmou, disse o presidente do TSE. “Mesmo aqueles veículos que foram parados nas operações não voltaram à sua origem e seguiram ao seu destino”, afirmou. A abstenção da região Nordeste, aliás, foi menor do que a média nacional e diminuiu do primeiro para o segundo turno: no dia 2 de outubro a porcentagem de pessoas que não compareceram às urnas foi de 19,53% e, neste domingo (30), de 19,29%.

“Mas o mais importante de tudo: tanto no primeiro quanto no segundo turno tivemos uma eleição pacífica, tranquila e com segurança. O eleitor se dirigiu à sua seção eleitoral, votou tranquilamente e retornou à sua casa sem maiores problemas”, celebrou. O presidente do TSE ainda destacou que a Justiça Eleitoral é um patrimônio nacional, e as eleições brasileiras – uma das quatro maiores do planeta e a única que apura votos e divulga o resultado no mesmo dia da votação com segurança e transparência – é um exemplo para o mundo.

Reconhecimento

Alexandre de Moraes cumprimentou os chefes dos Poderes da República e as numerosas autoridades e representantes de entidades públicas e privadas, brasileiras e estrangeiras, que estavam presentes e que acompanharam a partir da sede da Corte Eleitoral, em Brasília, o dia de votação. Ele também agradeceu o trabalho dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) e, nas pessoas dos mais de dois mil juízes eleitorais de todo o Brasil, elogiou os mesários, servidores e colaboradores da Justiça Eleitoral, que trabalharam para que o pleito transcorresse com tranquilidade e segurança.

O papel das Forças Armadas nestas eleições mereceu uma menção especial do presidente do TSE. Ele lembrou que homens do Exército, Marinha e Aeronáutica estiveram engajados na segurança de 467 localidades no primeiro turno. Na segunda etapa do pleito, a presença das Forças Armadas foi necessária em 456 cidades.  “Além do trabalho de excelência de levar as urnas aos mais longínquos rincões do Brasil”, lembrou.

Alexandre de Moraes também destacou o trabalho do Conselho de Comandantes Gerais das Polícias Militares e do Conselho de Chefes de Polícias Civis das 27 unidades da Federação, que trabalharam em estreita relação com o TSE para garantir a segurança nas eleições.

“Espero que, a partir desta eleição, finalmente cessem as agressões ao sistema eleitoral, os discursos fantasiosos, as notícias fraudulentas e criminosas contra as urnas eletrônicas”, disse ao final da sua fala. “Quem novamente atestou a credibilidade das urnas eletrônicas foi o povo brasileiro. Foi o eleitor e a eleitora que foram votar. E foram votar porque confiam no sistema eleitoral brasileiro, nas urnas eletrônicas e no sistema eleitoral”, concluiu.

Presidente do STF

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Rosa Weber, reafirmou que a vontade popular manifestada por meio do voto é protegida pela Constituição Federal de 1988. Ela agradeceu o trabalho e o empenho de todo o corpo de servidores e colaboradores da Justiça Eleitoral e de todas a instituições que atuam ao lado da JE para a realização de eleições seguras, tranquilas e transparentes em todo o território nacional.

“Este momento em que se proclama o resultado das urnas reveste-se de particular significação histórica e nele se exige a reverência ao soberano pronunciamento do povo quanto à escolha, em eleições livres e por meio de um sistema eleitoral seguro, confiável e auditável, dos candidatos mais votados”, ressaltou. Ela desejou êxito e felicidade aos eleitos neste domingo e assegurou que o STF continuará firme na defesa do Estado Democrático de Direito.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no Brasil e no mundo?

Então nos siga em nossas redes sociais, como o Facebook, Instagram e Google News. Assim, você acompanhará tudo sobre economia, esporte, tecnologia, saúde e muitas outras matérias interessantes.