4 fatores que deixam um carro mais desvalorizado (e talvez seja melhor não fazer)

Você sabia que quando compramos um bem, seja ele um objeto, móvel, carro ou moto, ele pode desvalorizar ao longo do tempo?

Quando compramos um bem ele pode desvalorizar ao longo do tempo. Foto: Pixabay
Quando compramos um bem ele pode desvalorizar ao longo do tempo. Foto: Pixabay

Você sabia que quando compramos um bem, seja ele um objeto, móvel, carro ou moto, ele pode desvalorizar ao longo do tempo?

A desvalorização, também conhecida como depreciação, pode afetar diretamente no valor do seu veículo e nos custos de manutenção, assim como no momento de uma possível venda.

Vamos te explicar o que é e como acontece essa desvalorização e ainda listamos 4 fatores que deixam o seu carro desvalorizado. Confira!

O que é a depreciação de um veículo e como ela acontece? 

Conceitualmente, a depreciação de um veículo consiste na desvalorização do carro, o que impacta diretamente no valor do bem quando comparamos o valor pago com o valor que ele vale no mercado atual.

Infelizmente, a desvalorização do veículo é algo que não podemos evitar ou mudar, já que é um fator completamente econômico.

Sendo assim, essa desvalorização é calculada com base na tabela FIPE, que trata dos valores dos veículos no mercado, servindo de parâmetro para os processos de compra e venda de automóveis.

Dessa forma, a desvalorização de um carro na tabela FIPE considera aspectos como a região do país em que você está, tal como o estado de conservação, cor, acessórios e outros fatores, que inclusive listamos abaixo.

Nesse sentido, podemos afirmar que um carro depreciado, ou ainda desvalorizado, é o veículo que apresenta um valor abaixo da tabela FIPE, o que é muito negativo no momento das negociações.

Claro, nem sempre compramos um carro pensando imediatamente em vendê-lo, mas é essencial saber que existem diversos fatores que contribuem para a desvalorização do bem.

4 fatores que deixam um carro mais desvalorizado 

Segundo a própria tabela FIPE, os valores do veículo podem variar de região para região, e nesse sentido, existem alguns fatores que deixam um carro mais desvalorizado, incluindo o modelo, cor, estado de conservação, acessórios, dentre outros.

A seguir, listamos os 4 principais fatores que influenciam no valor do seu veículo, deixando-o mais desvalorizado do que o comum.

1. Modelo 

Um dos primeiros aspectos que influenciam no valor do veículo é o modelo escolhido.

De acordo com a pesquisa realizada pela InfoMoney, a desvalorização dos veículos está relacionada com aspectos como credibilidade da marca, facilidade em encontrar pelas e claro, o gosto do público pela marca.

Sendo assim, os modelos que mais desvalorizaram no ano de 2021, de acordo com a InfoMoney, foram os seguintes:

  • Fiat Doblô
  • Citroën C4 Cactus
  • Citroën C3
  • Mitsubishi Eclipse Cross
  • Peugeot 208
  • Renault Captur
  • Caoa Chery Tiggo 5X 2022
  • Toyota Corolla
  • Kia Rio
  • Hyundai New Tucson
  • Mitsubishi Outlander Sport
  • Ford Ka
  • Toyota Etios Sedan
  • Nissan Kicks
  • Chevrolet Prisma Joy Plus

Além dos modelos citados acima, a cor do veículo influencia diretamente na desvalorização do veículo.

2. Cor da pintura e estética 

Como dissemos, a cor da pintura do seu automóvel influencia diretamente no valor na tabela FIPE.

Assim, carros com pinturas mais simples e tradicionais, como por exemplo, cinza, prata, preto e branco são os mais escolhidos no momento da venda, pois são pinturas mais fáceis de realizar.

Já os carros com pinturas personalizadas e de edições especiais são mais desvalorizados pela dificuldade em realizar a pintura na mesma tonalidade, que muitas vezes só é possível nas concessionárias.

Por isso, você deve ter bastante cuidado com a estética do seu veículo, e isso inclui o carro que é muito exposto ao sol, além de ter cuidado com arranhões, batidas e as condições interiores do carro.

3. Alta quilometragem 

Outro fator que influencia diretamente na desvalorização do veículo é a alta quilometragem, ou seja, a quantidade de quilômetros rodados no veículo.

Isso se dá pelo fato de que uma alta quilometragem pode significar uma maior necessidade de manutenções, o que também influencia no valor do veículo. Ou seja, alta quilometragem pode indicar que o carro já está bastante gasto, diminuindo o interesse do comprador no momento da negociação.

Aqui, os veículos que são utilizados em estradas ou ainda utilizados em fins empresariais também sofrem uma maior desvalorização, principalmente pelo uso desmedido e constante.

4. Origem do carro

Outro fator que influencia na desvalorização do veículo é a sua origem, ou seja, seus donos anteriores.

Sendo assim, os carros que já foram utilizados como Uber, táxis ou estiveram disponíveis em locadoras sofrem a desvalorização devido ao uso intenso, o que significa que as peças serão muito mais gastas, e consequentemente, serão necessárias mais manutenções.

Por isso, todo o cuidado é pouco quando falamos de cuidados com o veículo e com a desvalorização que ele pode sofrer. Sendo assim, sempre avalie todos os aspectos do veículo no momento da compra, e claro, em uma posterior negociação.

Enfim, o que achou da notícia?

Então, nos siga no Facebook, Twitter e Google News. Assim você vai acompanhar as principais notícias do Brasil e do mundo no Gazeta do Dia!