Como o chocolate pode ajudar na saúde e prevenção de doenças?

Por ser uma das iguarias mais consumidas – e desejadas, você sabia que o chocolate pode trazer inúmeros benefícios para a sua saúde?

Chocolate pode ajudar na saúde e prevenção de doenças. Foto: Pixabay
Chocolate pode ajudar na saúde e prevenção de doenças. Foto: Pixabay

Hoje, 7 de julho, é celebrado o dia mundial do chocolate. E por ser uma das iguarias mais consumidas – e desejadas, você sabia que ele pode trazer inúmeros benefícios para a sua saúde?

Consultamos nutricionista, nutrólogo, endocrinologista, psiquiatra que mostram evidências acerca dos benefícios do consumo do chocolate que vão da melhora do fluxo sanguíneo para o no cérebro até a melhora da saúde intestinal.

O tão amado chocolate é comumente conhecido por estar presente no cotidiano das pessoas como sobremesas ou simples doces responsáveis por aumentar a serotonina e melhorar seu humor, sendo uma aposta constante nessas circunstâncias. O que não é de mútuo conhecimento popular, contudo, é o fato de que o chocolate também pode ser extremamente benéfico para a saúde na prevenção de doenças e auxílio em outras partes do corpo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Dr. Guilherme Renke (@endocrinorenke), uma das maiores referências da área da endocrinologia do país, membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e sócio fundador da Clínica Nutrindo Ideais elucidou o assunto e nos trouxe um maior conhecimento sobre esses benefícios existentes no alimento que já é queridíssimo no gosto popular.

Dr. Guilherme explica que o cacau contém mais antioxidantes fenólicos do que a maioria dos alimentos. “Flavonoides, incluindo catequina, epicatequina e procianidinas predominam na atividade antioxidante. A estrutura tricíclina dos flavonoides determina os efeitos antioxidantes que eliminam as espécies reativas de oxigênio. O conteúdo de epicatequina do cacau é o principal responsável por seu impacto favorável no endotélio vascular devido ao seu efeito na supra regulação aguda e crônica da produção de óxido nítrico”, ressalta. Além disso, seus efeitos antioxidantes podem influenciar diretamente a resistência à insulina e, com isso, reduzir o risco de diabetes.

De acordo com o médico atuante em endocrinologia, Dr. Francisco Tostes (@doutortostes), sócio da clínica Nutrindo Ideais (@nutrindoideais), maior clínica multidisciplinar do Brasil, o consumo de chocolate também pode estimular mudanças nas vias de sinalização sensíveis ao redox envolvidas na expressão gênica e na resposta imune. “O cacau pode proteger os nervos de lesões e inflamação, proteger a pele dos danos oxidativos da radiação UV em preparações tópicas e ter efeitos benéficos na saciedade, função cognitiva do humor”, orienta o profissional.

Para a nutricionista Nemesis Monteiro (@nutrinemesismonteiro), parte da equipe da Nutrindo Ideais, os inúmeros benefícios que o consumo de chocolate proporciona através das suas propriedades não são alcançados com todos os tipos e concentrações de cacau neste produto, sendo os mais indicados, os chocolates intensos, acima de 70% cacau.

O chocolate amargo pode melhorar trazer benefícios para imunidade pela sua ação anti-inflamatória além de ser fonte de antioxidantes. Com o consumo de 20g diárias de pelo menos 70% de cacau, pode melhorar o aporte de fluxo sanguíneo e reduzir níveis pressóricos, reduzindo portanto, a pressão arterial em pacientes hipertensos. Além disso, tem como função melhorar a saúde intestinal e reduzir os níveis de cortisol sanguíneo, reduzindo o estresse – todos os efeitos que podem indiretamente fortalecer o sistema imunológico. “E além disso, o cacau é uma fonte concentrada de fibra, magnésio, potássio e arginina (vasodilatador), um aminoácido que ajuda a dilatar os vasos sanguíneos, também”, elucida.

Comer chocolate de forma regular está vinculado a um risco menor de infarto agudo do miocárdio (IAM), melhorando a perfusão sanguínea.

“O consumo de 20g de chocolate acima de 70% por dia, quando associado a mudança de estilo de vida, pode auxiliar na prevenção de cardiopatias (problemas cardíacos)”, explica a nutricionista. Isso ocorre por que o chocolate – quanto maior a concentração de cacau, maiores são os benefícios – contém nutrientes saudáveis para o coração, incluindo as já citadas flavonoides, metilxantinas, polifenóis e ácido esteárico, que podem ajudar a reduzir a inflamação e aumentar os níveis do “bom” colesterol (HDL) que evita o acúmulo de placas ateromatosas. Os chocolates ao leite e branco não trazem estes benefícios por conterem em sua composição uma quantidade elevada de açúcar e gordura em sua composição. Os benefícios do cacau ocorrem pela presença de cacau no chocolate, por isso as porcentagens de 70, 85, 99 e 100% devem ser as mais adequadas para estes consumos”, completa.

Segundo o psiquiatra Higor Caldato (@drhigorcaldato), sócio da Nutrindo Ideais (@nutrindoideais), além de todos os benefícios físicos, o chocolate pode ser devidamente positivo para a mente, visto que os aminoácidos bioativos triptofano, fenilalanina e tirosina podem ajudar a mudar a neuroquímica, culminando no efeito de “sensação boa” que um pedaço de chocolate geralmente proporciona.

Apesar de todos os benefícios, o consumo excessivo de chocolate também oferece potenciais efeitos prejudiciais, incluindo o aumento do risco de ganho de peso, obesidade e outros malefícios. “O grande desafio relacionado ao chocolate está ligado ao comportamento alimentar”. Tamanho prazer gerado pelo alimento, ele pode estar na lista dos mais procurados diante das compulsões alimentares.

“A ingestão deve ser consciente, e não exagerada. Em uma dosagem responsável e consumo moderado, no entanto, os benefícios provavelmente superam os riscos”, finaliza o psiquiatra.

📲 Confira as notícias do Gazeta do Dia
📲 Siga a gente no Facebook
📲 Siga a gente no Instagram
📲 Siga as notícias no Google News